19 de outubro de 2015

Os 23

Andava eu pelo Facebook quando recebi a primeira mensagem de Parabéns. Não estava obcecada, ansiosamente à espera das 00:00 do dia 15, por isso foi uma agradável surpresa. O dia em que nasci, há 23 anos atrás; o meu dia de 365 dias de um longo ano; o dia em que eu era o centro de todas as atenções ... tinha finalmente chegado. Para mim tornou-se, ao longo dos anos, cada vez mais importante não deixar passar o meu dia de aniversário em branco e não poupo esforços para que todos os anos o meu dia seja um dia diferente, tanto para mim mas para todos os que me rodeiam e que fazem parte da minha vida



Como já tinha mencionado num post anterior, a organização do meu jantar de aniversário foi, digamos que ... um processo muito doloroso e demorado. Primeiro foi a minha disponibilidade para o grande dia: tive todo um cuidado para conseguir organizar as coisas com a máxima antecedência possível e, quando pensei que já tinha tudo encaminhado, apareceu-se-me uma pedra no caminho chamada de 'trabalho'. A minha folga tinha ido por água abaixo e eu vi a minha vida a descer pelo autoclismo, em espiral e sem sequer dar luta. Milhares de pensamentos me passaram pela cabeça, incluindo o típico "vou faltar", mesmo sabendo que no fundo jamais conseguiria fazer uma coisa dessas ... mas desistir do jantar? Isso estava absolutamente fora de questão. Faltava apenas uma semana para os meus anos e eu ainda andava a tentar negociar uma folga, e a tal história da 'antecedência' era caso morto. Apenas no dia 11 consegui a confirmação da minha folga para o dia dos meus anos (quinta-feira) e já tinha um dos milhares de problemas resolvido. Segundo foi a escolha do local para o jantar: tinha-se falado um mês antes em rodízio de pizzas para escapar a uma (outra) ida ao famoso Chinês das Olaias ou ao típico Chimarrão de Alvalade. A Pizza Hut era o foco central, não fosse o facto de fazer rodízio de pizzas apenas ás sextas-feiras e aos sábados. Mais um problema. Depois de uma busca intensiva por 'rodízios de pizzas em Lisboa' no Google, não consegui encontrar nada que me cativasse, até que, num momento de pura epifania, decidi ligar para a Pizza Hut e experimentar a minha sorte. Esta é a parte em que aproveito agora para deixar um agradecimento muito especial à Pizza Hut do Vasco da Gama que se disponibilizou a fazer o rodízio de pizzas apenas para o meu aniversário. Foram sempre muito atenciosos nas chamadas telefónicas e livraram-me do maior problema de todos. É caso para dizer que, no fim, saímos todos a ganhar. Terceiro foi a disponibilidade dos meus convidados para o grande dia: juntar 35 pessoas num jantar de aniversário é um processo quase impossível, ora porque uns trabalham, ora porque outros têm escola, ou outros não têm dinheiro e ainda outros não gostam de pizza. Nunca é possível conseguir agradar a toda a gente. A verdade é que consegui juntar 27 pessoas no meu jantar, mas até conseguir alcançar este número foi um martírio. Tinha até às 16 horas de quarta-feira para confirmar o número certo de pessoas com a Pizza Hut e montes de gente ainda não tinha confirmado a sua presença no jantar. Toda eu era uma pilha de nervos, primeiro porque não gosto de faltar a compromissos e se a Pizza Hut me ligasse e eu não tivesse uma resposta para dar ia ficar muito envergonhada comigo mesma; segundo porque depois de ter mandado mil mensagens e mil recadinhos por outras pessoas, não haviam respostas por parte de ninguém. Foi tão frustante ...! 

Mas valeu a pena, sabem? Nunca tinha organizado um jantar num aniversário com tantas pessoas. Com tantos amigos, colegas, família. E apesar de todos os obstáculos e 40 ataques cardíacos depois ... lá estava eu, sentada à mesa com 26 pessoas há minha volta a festejarem o meu 23 aniversário. Foi, sem dúvida, um dos melhores aniversários de sempre. Agora é descansar de todo um stress acumulado e viver da melhor maneira os 23, sempre feliz

Um obrigada gigante a quem esteve presente, e um abraço também aos que não puderam estar.
Foi lindo!  


Sem comentários:

Enviar um comentário