22 de dezembro de 2014

Eu cá abulia estas palavras.



Tenho a certeza que não sou a única neste planeta que não gosta de ouvir algumas palavras. Ou são demasiado agressivas, ou soam-me mal ao ouvido ou, simplesmente, não fazem qualquer sentido para mim. Bom, resolvi fazer uma pequena coletânea de algumas palavras que odeio ouvir e vim aqui partilhá-las com vocês. Vamos lá então:

- Peido -



Não pensem que venho para aqui dizer que sou uma princesa que faz algodão doce de cor arco-íris com cheirinho a perfume de pónei, porque não é verdade. Eu sou um ser humano, e acho que esta coisa das necessidades fisiológicas é igual para todos, não há cá distinções. Mas esta palavra podia ser dita de uma maneira tão mais ... suave. Sei lá ... temos o diminutivo peidinho, temos o mais carinhoso pum ou o mais direto, mas mais suave, bufa. Mas peido? Não, recuso-me a dizer que dou peidos, quanto muito dou puns, é a mesma coisa, mas muito mais suave.

- Prenha - 



Odeio quando alguém diz "Olha a Albertina está prenha". E eu fico a pensar "a Albertina é uma gata/cadela/vaca?". É que para quem não sabe, a palavra prenha usa-se nos animais, não nas pessoas (sim, há pessoas que são verdadeiros animais, mas vamos tentar distinguir as coisas). Que problema tem a palavra 'grávida'? Vocês quando estiverem grávidas não vão dizer aos vossos maridos "estou prenha amor", certo?

- Guardanapo -



Uma palavra tão grande usada para uma coisa tão pequena como um papel. Aliás, porquê guardanapo? Guarda-Napo. A palavra napo nem sequer existe. Porque não Limpaboca? Limpa-boca ... é exatamente para isto que o papel que se chama 'guardanapo' serve: para limpar a boca!

- Cornos -



"O Ambrósio meter os cornos á Albertina". Horrível. Agressivo. Despropositado. Pior pior é quando as pessoas ainda carregam no 'r' do meio, como se o facto de prolongarem o som da palavra esta fica ainda mais agressiva do que já é. Hum hum, recuso-me. A palavra 'trair' assenta muito melhor no meu vocabulário. 

- Peúgas -



Até fico arrepiada. Porquê peúgas? Esta palavra devia ser usada para descrever qualquer coisa a ver com pôneis. Sim, pôneis. É que peúgas para se referir a MEIAS ... epa, muito mau. Recuso-me a dizer 'peúgas' quando posso dizer 'meias pequenas' ou algo do género. 

- Cristaleira -



Para além de detestar o som desta palavra, detesto tudo o que ela implica. Para que serve uma cristaleira? Se formos pela palavra em si, pensamos que é algo que guarda ou armazena cristais, aquelas coisas bonitas e brilhantes, dignas de museu. Mas não. As donas de casa chamam cristaleira às duas portinhas de vidro nos moveis de casa, onde guardam copos. Sim copos. Adoro esta lógica. Não, pior é quando dizem crestaleira em vez de cristaleira, como se a palavra em si não fosse feia o suficiente. 

Mas há mais ... mas infelizmente não me recordo de mais nenhuma. Mas prometo pela minha vidinha que assim que me surgir mais qualquer coisa eu partilho com vocês. Ah, e estou desejosa para que partilhem comigo as palavras que vocês não gosto, porque é obvio que isto é informação imprescindível para o nosso 'bem estar e juventude' (not!). 


Sem comentários:

Enviar um comentário